As alças acima das divergências

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, deve fazer uma parada em Jundiaí para entregar a primeira etapa de um projeto grandioso, importante e com grandes investimentos – as alças da Anhanguera. Olhando as imponentes pontes que estão sendo construídas, dá gosto de ver como a engenheira trabalha para resolver grandes problemas próprios das cidades que não páram de crescer, como é o caso de Jundiaí.

Muita gente talvez não saiba, entretanto, que antes que o primeiro trator fosse ligado, para iniciar o projeto das alças, uma verdadeira batalha se desenrolou no sentido de pressionar o governo a se mexer e a injetar dinheiro numa das cidades mais pulsantes do estado. Posso falar porque participei de maneira intensa como cidadão, como líder sindical e como presidente da Câmara de Jundiaí. Estava junto quando esticamos faixa no trânsito caótico pedindo a obra, estimulei campanhas na rede social como aquela que utiliza a o meme “cadê as alças governador” e atuei em sintonia com o ex prefeito Pedro Bigardi para colocar toda pressão possível em Alckmin a fim de fazer a obra sair do papel. Deu resultado.

Mas, verdade seja dita, essa é uma obra de autoria coletiva. Tudo começa com a generosidade e empenho do saudoso prefeito Ary Fossem que fez uma lei sob medida, permitindo a concessionária estabelecer parceria com o Estado. Depois disso houve manifestação de deputados, de outras lideranças e o clamor forte da população. A gestão de Bigardi também fez sua parte, com doação de terreno e resolvendo todos os pedidos técnicos feito pela concessionária, gestão de trânsito e outras pequenas intervenções. E, felizmente, a atual administração deu prosseguimento aos esforços. Como as alças estão acima das divergências, todos se uniram e o movimento ficou impossível de ser freado.

•••

O governo de São Paulo cedeu e os tratores enfim começaram a funcionar.

Assim que estiver concluída, as alças da Anhanguera devem melhorar muito o fluxo de veículos em áreas hoje caóticas como o trevo da Avenida Jundiaí, propor uma saída racional para os ônibus da nova rodoviária e oxigenar de maneira geral o trânsito da cidade. Uma vitória de todos.

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *
You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>