Previdência apresentada não combate privilégios

O governo Bolsonaro apresentou a sua proposta de reforma da previdência. Nesse momento, estamos estudando o texto. Mas a impressão inicial é de que esta reforma pouco se dedica a combater privilégios, um dos principais problemas da nossa previdência. A questão da idade mínima, um dos pontos mais discutidos por todos, simplesmente desconsidera o Brasil real. Afinal, não podemos achar justo e aceitável que as regras para um pedreiro ou motorista de ônibus se aposentar sejam as mesmas de um executivo, que trabalha dentro de um escritório com ar-condicionado. Assim como é revoltante obrigar um professor a dar aula por 40 anos para que ele receba a sua aposentadoria integral. Volto a dizer o quanto é importante discutir esse assunto, apresentando números reais, que ajudem a população a entender a situação da previdência. Antes de encomendar o remédio, precisamos saber qual é de fato a doença.

Para quem quiser entender melhor a previdência, a equipe econômica do Ciro Gomes, coordenada pelo especialista no assunto e deputado federal do PDT, Mauro Benevides Filho, produziu um panorama sobre o tema, trazendo muitos dados e informações. A apresentação pode ser acessada aqui: http://bit.ly/2SSCmtt

Em Brasília, Sartori participa de debate sobre a reforma da previdência

A previdência é um tema fundamental porém complexo. Sabendo da dimensão e dos desafios do assunto, o PDT promoveu, na sede nacional em Brasília, um debate sobre a reforma coordenado pelo presidente do PDT, Carlos Lupi, e o nosso candidato a presidente, Ciro Gomes, que conhece a matéria como poucos e mostra como a reforma da previdência deveria ser feita junto com a tributária. Lideranças nacionais, deputados e senadores acompanharam a apresentação feita pelo deputado federal do PDT, professor de economia e especialista no assunto, Mauro Benevides Filho. Saímos deste encontro com muitos dados e informações. Cientes de que o primeiro passo para o debate é tornar público e transparente os números reais da previdência, apontando os custos de cada setor, os grandes devedores e as isenções.

Reforma trabalhista começa a mostrar os seus terríveis efeitos

Como vínhamos alertando

, a reforma trabalhista começa a mostrar os seus terríveis efeitos. A GM anunciou essa semana que vai diminuir o piso salarial de R$2.300 para R$1.600, aumentar a jornada de trabalho de 40 para 44 horas, suspender a participação sobre lucros, em 2019 e acabar com o transporte fretado gratuito. A GM apresentou ao todo 28 mudanças que pioram as condições de trabalho. Agora, temos que nos organizar e nos fortalecer para evitarmos que medidas como estas se alastrem pela indústria, comércio e todos os setores, comprometendo anos de conquistas.

https://abr.ai/2DVQxVL

#gersonsartori #emprego #pdt #reformatrabalhista