As alças acima das divergências

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, deve fazer uma parada em Jundiaí para entregar a primeira etapa de um projeto grandioso, importante e com grandes investimentos – as alças da Anhanguera. Olhando as imponentes pontes que estão sendo construídas, dá gosto de ver como a engenheira trabalha para resolver grandes problemas próprios das cidades que não páram de crescer, como é o caso de Jundiaí.

Muita gente talvez não saiba, entretanto, que antes que o primeiro trator fosse ligado, para iniciar o projeto das alças, uma verdadeira batalha se desenrolou no sentido de pressionar o governo a se mexer e a injetar dinheiro numa das cidades mais pulsantes do estado. Posso falar porque participei de maneira intensa como cidadão, como líder sindical e como presidente da Câmara de Jundiaí. Estava junto quando esticamos faixa no trânsito caótico pedindo a obra, estimulei campanhas na rede social como aquela que utiliza a o meme “cadê as alças governador” e atuei em sintonia com o ex prefeito Pedro Bigardi para colocar toda pressão possível em Alckmin a fim de fazer a obra sair do papel. Deu resultado.

Mas, verdade seja dita, essa é uma obra de autoria coletiva. Tudo começa com a generosidade e empenho do saudoso prefeito Ary Fossem que fez uma lei sob medida, permitindo a concessionária estabelecer parceria com o Estado. Depois disso houve manifestação de deputados, de outras lideranças e o clamor forte da população. A gestão de Bigardi também fez sua parte, com doação de terreno e resolvendo todos os pedidos técnicos feito pela concessionária, gestão de trânsito e outras pequenas intervenções. E, felizmente, a atual administração deu prosseguimento aos esforços. Como as alças estão acima das divergências, todos se uniram e o movimento ficou impossível de ser freado.

•••

O governo de São Paulo cedeu e os tratores enfim começaram a funcionar.

Assim que estiver concluída, as alças da Anhanguera devem melhorar muito o fluxo de veículos em áreas hoje caóticas como o trevo da Avenida Jundiaí, propor uma saída racional para os ônibus da nova rodoviária e oxigenar de maneira geral o trânsito da cidade. Uma vitória de todos.

Saúde sem partido

Saúde sem partido

Falar que a saúde está na UTI é uma crítica muito superficial. Frase pronta, com efeito pouco construtivo. Sim, a saúde, e falo principalmente de Jundiaí, precisa de rápidas soluções. Temos o Hospital São Vicente, local inclusive onde eu nasci, que está prestes a perder recursos que podem prejudicar muito o seu funcionamento. O São Vicente aguarda o repasse do Governo do Estado de mais de 2 milhões de reais ao mês do recurso do Santa Casa Sustentável que até hoje não chegou aos cofres da entidade. Temos o Hospital Regional que tem uma ótima estrutura e que parte está ociosa. Poderia ter uma destinação que o tornasse mais eficiente para atender Jundiaí e Região. O GRENDACC que cumpre um papel fundamental no tratamento especializado em crianças com câncer e precisa do convênio com o governo Federal para manter sua nova ala cirúrgica. Enfim, para sair da superficialidade da crítica e aprofundar na busca de soluções concretas é preciso diálogo e ação por parte das forças políticas de nossa cidade e Região. O prefeito de Jundiaí, Luiz Fernando Machado, que também é o presidente do Aglomerado Urbano de Jundiaí além de legitimidade tem toda capacidade para ser o articulador desse processo. Ele, juntamente com o Deputado federal Miguel Haddad, ambos do PSDB que é também o partido do governo do Estado, o Deputado estadual de Várzea Paulista, Junior Aprilanti, do PSB, partido do vice-governador, podem reunir os prefeitos das cidades que compõem o aglomerado, que também tem responsabilidades e interesse, e mergulhar nesse tema para, unidos, buscarem alternativas.
Esse é um momento de união dos municípios que devem enfrentar a questão e colocar acima das disputas políticas e eleitorais. A saúde, essa sim, não deve ter partido. Só a crítica, sem ação, não irá tirar a Saúde da UTI.

Jardim São Camilo recebe nova etapa de obras

Jardim São Camilo recebe nova etapa de obras

Muito importante a continuidade destas obras. Jardim São Camilo recebe nova etapa de obras na próxima semana

Na próxima semana, terá início uma nova etapa da obra de interligação viária que está sob responsabilidade da FUMAS no Jardim São Camilo. A etapa consiste na construção de um muro de gabiões de 60m de extensão por 12m de altura na parte alta da nova rua, que ligará a Rua Pedro Ravanhani até a Rua Ângelo Rivelli, no Jardim da Fonte.

A grandiosidade da obra viária do Jardim São Camilo, que começou a partir do reassentamento de 400 famílias que foram retiradas do trecho submetido à intervenção, está modificando toda a cara do bairro. Além da rua que interligará o São Camilo ao Jardim da Fonte, também foi ampliada a Rua José Maria Whitaker, que fica na parte baixa do bairro.

Fonte: Jornal da Região